Uncategorized

MINIMALISMO – POR ONDE COMEÇAR?

Certo, você conheceu a filosofia minimalista, deseja aplicá-la em sua vida, mas não sabe por onde começar. Este post vai contribuir para você tirar esse plano do imaginário e torná-lo real.

O destralhe marca a fase inicial de uma vida minimalista e está intimamente ligado com o conceito de desapego. Nele, podemos analisar a necessidade de tudo o que possuímos de forma mais racional. Nos questionarmos o porque de possuirmos cada um dos nossos pertences é o pontapé inicial. Deixe-me te contar um segredo: destralhar é um hábito e, quando praticado, será cada vez mais fácil de ser executado.

Sugiro, como ponto de partida, que você visite o seu armário de roupas. Vestimentas são os itens que normalmente são mais fáceis de desapegarmos. Se não for o seu caso, comece focando nas roupas de cama e banho ou na sua dispensa de alimentos.

Para selecionar as peças de roupas, acessórios (bolsas, cintos, bijuterias, lenços, etc.) e calçados, sugiro que você segure individualmente cada item, vista-os, se for necessário, e decida se continuará ou não com ele em seu armário. Note se o uso da peça te traz felicidade, se ela cai bem em seu corpo e se expressa a imagem que você quer transmitir sobre si mesmo.

Caso mesmo assim, você ainda tenha dúvidas sobre ficar ou não com a peça de roupa, se pergunte: em que ocasião eu usaria esta roupa? Ela combina com quantas peças do meu armário? Consigo substituí-la por outra que figure em mais looks? Quantas vezes eu a usei nos últimos três meses?

Possivelmente, em sua primeira tentativa, você não conseguirá desapegar de muita coisa. Daí, proponho que revisite seu armário uma vez ao mês e verifique novamente as peças que ali permaneceram. Você notará que todas as vezes que realizar esse processo, desapegará de mais itens.

Te convido a ter essa experiência. Pratique o desapego e compartilhe comigo o seu resultado. Ah, vale a pena lembrar que as roupas desapegadas deverão ser destinadas de forma correta, ok?! A doação direcionada é sempre uma ótima opção para as peças em bom estado. 😊

Espero ter contribuído com você!

Que o destralhe das coisas em desuso em sua casa, deixe-a com ainda mais energias positivas.

Abraço.

Armário Capsula

Sou contadora, coach e líder de projetos. Busco o tempo todo repensar as formas de como consumo as coisas e de como realizo as minhas atividades diárias. Em suma, procuro viver de maneira mais sustentável, consumindo menos recursos e aproveitando mais o meu tempo. Amo estar com minha família e não meço esforços para tal. Tento tornar as minhas ações mais práticas e eficientes para que eu consiga usufruir de mais tempo ao lado dela.

2 Comentários

  • Adriane

    Claudinha, massa sobre o desapego a roupas, itens de cama, mesa e banho. Eu já estou buscando esse desapego pra vida, que hoje chamamos de ninimalismo. Porém, tenho uma dúvida sobre esse conceito. E sobre o consumo de “serviços” por exemplo, ir numa manicure fazer a unha, gastar dinheiro numa escova no Cabelereiro, enquanto eu posso fazer em casa, isso também podemos caracterizar de uma desapego ? ( minimalismo) ?
    Me explica pfv
    Obg
    Bj 😘

    • minima97_wp

      Oi, Adri!
      Sou muito grata por sua contribuição aqui no blog! 🙂
      O desapego se apresenta quando não sentimos dor por deixar de ter ou consumir algo.
      Consumir serviços em nossa comunidade é uma atitude sustentável que promove a circulação do dinheiro e qualidade de vida às pessoas em nossa volta.
      Pagar para termos algum serviço que não temos habilidade de realizar ou que não gostamos de fazer, não nos faz ser menos minimalistas.
      A questão é: isso traz valor para você? Como você se sentiria se, por algum motivo, não pudesse mais consumir este serviço com o mesmo profissional? Como você lidaria com isso?
      Eu sou quem faz as minhas unhas, mas o motivo disso é que acho que faço melhor do que as manicures que eu frequentei. Caso eu não fizesse, pagaria pelo serviço, entende? Quando faço em casa, escolho o horário que é melhor para mim. Já quando contratamos um profissional temos que verificar a sua disponibilidade do horário.
      Hoje, eu simplifiquei a minha vida. Costumo ir sempre aos mesmos prestadores, seja cabeleireiro, podóloga, costureira, mecânico, médicos e etc. Fidelizar meu consumo de serviço às pessoas em que eu confio me fez perder menos tempo em meu dia-a-dia e ter menos decepções.
      Caso tenhas prazer em fazer as unhas em um salão, continue fazendo. Sugiro interagir cada vez mais com as pessoas que prestam serviço a você, para que você consiga enxergar para quem seu dinheiro está contribuindo.
      Caso queiras economizar dinheiro e diminuir seus gastos, reflita sobre as ações que você pratica e que nem são tão importantes assim para você.
      Espero ter respondido a sua pergunta.
      Abraço!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *